cry in the rain.

A chuva caia, enquanto o dia ia escurecendo, e eu presa, embaixo daquele palco, sujo, abandonado... Onde eu me encontrava sentada e encolhida, como se estivesse me escondendo dos meus medos. E então ela parou, imóvel e cinza, lançando seu olhar temido para mim, mas ela me olhava de uma forma estranha. Estranha e bonita . Como se aquela agua que se derramava do céu não a estivesse molhando ou como se não se importasse, ela ficou ali, paralisada, com nossos olhares fixos, como se ela pedisse algum tipo de ajuda, como se eu a pudesse salvar daquela dor. Na verdade, era minha alma que gritava para entrar em seu pequeno corpo e voar por aí... sem rumo, sem rima, sem volta. Eu queria caminhar por aquela chuva, até alcança-la. Ficava pensando se eu estava lucida ou paranoica, mas de alguma forma, aquilo não era normal. E enquanto ela dava pequenos passos pelas poças de aguá, se preparando para partir, eu a acompanhava com meus olhos, que já brilhavam transbordando lágrimas. E sua penugem pingava, e aquele tom de cinza castanho ia se findando diante dos meus olhos, e então eu pensei: " ela queria me dizer algo " .Já havia percebido isso, desde quando nossos olhares se cruzaram.

1 comentários:

Postar um comentário